PESQUISA DE LOTES

Judicial - On Line

Data do Início:
01/11/2019 às 11:00 Horas

Data do Encerramento:
11/11/2019 às 11:00 Horas

Local

SÍTIO ELETRÔNICO (SITE): www.agencialeilao.com.br

Situação do Leilão
LEILÃO ENCERRADO
Online
Buscar neste Leilão

- Lote(s)




Imprimir

Edital

 

EDITAL DE PRAÇA/LEILÃO

COMARCA DE SÃO BENTO DO SUL

3ª VARA CÍVEL E EXECUÇÕES FISCAIS

LEILÃO JUDICIAL ELETRÔNICO

MELHOR LANCE, DESDE QUE NÃO A PREÇO VIL

 

DATA E HORA INÍCIO: 01/11/2019, às 11:00 horas.

DATA E HORA FIM: 11/11/2019, às 11:00 horas.

SÍTIO ELETRÔNICO (SITE): www.agencialeilao.com.br

Em razão da nova modalidade digital de alienações judiciais e leilões, conforme Resolução 236 do Conselho Nacional de Justiça, Resolução CM N. 2 de 9 de Maio de 2016, expedida pelo Conselho de Magistratura do Novo Código de Processo Civil, Lei 13.105/2015, a realização do leilão judicial, por meio eletrônico, ocorrerá nos termos do artigo 882, parágrafo primeiro, 886 inciso IV, artigo 887, parágrafos primeiro e segundo, do Novo CPC, artigo 5º, da resolução CM N. 2 de 09 de maio de 2016, expedida pelo Conselho Magistratura de SC, artigos 11 e 20 da resolução 236 de 13 de julho de 2016, expedida pelo Conselho Nacional de Justiça. A consignação de lance mínimo pelos licitantes, ocorrerá em 50% (cinquenta por cento) da avaliação do(s) bem(ns) penhorado(s), nos termos do artigo 891, parágrafo único do Novo CPC, salvo determinação judicial em contrário.

Advertências: 01) Art. 889 do Código de Processo Civil: Serão cientificados da alienação judicial, com pelo menos 5 (cinco) dias de antecedência; I - o executado, por meio de seu advogado ou, se não tiver procurador constituído nos autos, por carta registrada, mandado, edital ou outro meio idôneo; II - o coproprietário de bem indivisível do qual tenha sido penhorada fração ideal; III - o titular de usufruto, uso, habitação, enfiteuse, direito de superfície, concessão de uso especial para fins de moradia ou concessão de direito real de uso, quando a penhora recair sobre bem gravado com tais direitos reais; IV - o proprietário do terreno submetido ao regime de direito de superfície, enfiteuse, concessão de uso especial para fins de moradia ou concessão de direito real de uso, quando a penhora recair sobre tais direitos reais; V - o credor pignoratício, hipotecário, anticrético, fiduciário ou com penhora anteriormente averbada, quando a penhora recair sobre bens com tais gravames, caso não seja o credor, de qualquer modo, parte na execução; VI - o promitente comprador, quando a penhora recair sobre bem em relação ao qual haja promessa de compra e venda registrada; VII - o promitente vendedor, quando a penhora recair sobre direito aquisitivo derivado de promessa de compra e venda registrada; VIII - a União, o Estado e o Município, no caso de alienação de bem tombado. Parágrafo único. Se o executado for revel e não tiver advogado constituído, não constando dos autos seu endereço atual ou, ainda, não sendo ele encontrado no endereço constante do processo, a intimação considerar-se-á feita por meio do próprio edital de leilão; 02) A verificação do estado de conservação dos bens poderá ser realizada pelo pretenso arrematante, se desejado, mediante disponibilidade e acompanhamento de Oficial de Justiça, devendo ser solicitado na vara (art. 154 inciso I do CPC) ; 03) O pagamento dos encargos relativos a propriedade (transferência patrimonial) e/ou obrigações referentes a desmembramentos, aberturas de matrículas, averbações, bem como quaisquer ônus referente a regularização de área e edificações, correrão por conta do arrematante; 04) O procedimento expropriatório restringe-se às áreas acima individualizadas. Excluem-se quaisquer outras benfeitorias e/ou áreas remanescentes não alcançadas pelo presente instrumento editalício; 05) (Artigo 895 § 1o do CPC)  A proposta conterá, em qualquer hipótese, oferta de pagamento de pelo menos vinte e cinco por cento do valor do lance à vista e o restante parcelado em até 30 (trinta) meses, garantido por caução idônea, quando se tratar de móveis, e por hipoteca do próprio bem, quando se tratar de imóveis. ; (Artigo 895 § 8o inciso I do CPC) Em diferentes condições, o juiz decidirá pela mais vantajosa, assim compreendida, sempre, a de maior valor;

 

06) Condições de Parcelamento:

Para os processos em que é parte o INSS:

Nos processos em que é exeqüente o Instituto Nacional do Seguro Social — INSS, com exceção das execuções referentes ao FNDE bem como daqueles em que expressamente forem proibidos, poderá o arrematante, com base no artigo 98 da Lei nº 8.212/91, com redação que lhe deu a Lei nº 9.528, de 10 de dezembro de 1997, (redação atualizada), combinado com a Portaria PGFN nº 79 de 03/02/2014, (DOU nº 26 de 06/02/2014), parcelar o valor da arrematação em até sessenta vezes, observada a parcela mínima de R$ 500,00 (quinhentos reais), o valor de cada parcela, por ocasião do pagamento, será acrescido de juros equivalentes à taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (SELIC), acumulada mensalmente, calculados a partir da data da arrematação até o mês anterior ao do pagamento, e de 1% (um por cento) relativamente ao mês em que o pagamento estiver sendo efetuado, reduzindo-se o prazo o quanto for necessário para a observância deste piso.

Para os processos em que é parte a Fazenda Nacional:

 

Nos processos em que é exeqüente a Fazenda Nacional, com exceção das execuções referentes ao FGTS, poderá o arrematante, com base no artigo 98, § 11, da Lei nº 8.212/91, com redação que lhe deu a Lei n. 9.528, de 10 de dezembro de 1997, parcelar o valor da arrematação pelo prazo de até sessenta vezes, desde que a parcela mínima seja de R$ 500,00 (quinhentos reais), nos termos do que dispõe o art. 98, da Lei n.º 8.212/91, o valor de cada parcela, por ocasião do pagamento, será acrescido de juros equivalentes à taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (SELIC), acumulada mensalmente, calculados a partir da data da arrematação até o mês anterior ao do pagamento, e de 1% (um por cento) relativamente ao mês em que o pagamento estiver sendo efetuado, (redação atualizada), combinado com a Portaria PGFN nº 79 de 03/02/2014, (DOU nº 26 de 06/02/2014), com observância das garantias ali previstas (hipoteca ou penhor em favor da União, conforme o caso).

Para os processos em que é parte a Fazenda Estadual:

Nos processos em que é exeqüente a Fazenda Estadual, poderá o arrematante, com base no artigo 3o da Lei 13.572 de 29 de novembro de 2005, parcelar o valor da arrematação depositando no ato 40% (quarenta por cento) do valor arrematado, e o saldo em até sessenta vezes na forma da lei. Salvo determinação contrária do Magistrado.

CLÁUSULAS COMUNS AO PARCELAMENTO

a) O exeqüente poderá adjudicar os bens pela metade do valor da avaliação, nos termos do art. 98 § 7º da Lei 8.212/91, combinado com a Portaria PGFN nº 79 de 03/02/2014, (DOU nº 26 de 06/02/2014). Disciplina o parcelamento do valor correspondente à arrematação de bem em hasta pública nas execuções fiscais promovidas pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

A Procuradora-Geral da Fazenda Nacional, no uso da atribuição que lhe confere o art. 10, inciso I, do Decreto-Lei nº 147, de 3 de fevereiro de 1967, e dos incisos XIII e XVII do art. 72 do Regimento Interno da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, aprovado pela Portaria nº 275, de 23 de junho de 2009, do Ministro de Estado da Fazenda, e com fundamento no art. 98 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991,

Resolve:
Art. 1º O parcelamento do valor correspondente à arrematação de bem em hasta pública nas execuções fiscais promovidas pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) obedecerá ao disposto nesta Portaria.

Art. 2º Nas execuções fiscais promovidas pela PGFN, poderá o Procurador da Fazenda Nacional responsável pelo feito requerer ao Juiz que seja realizada hasta pública, na qual será admitido ao arrematante o pagamento parcelado do valor da arrematação.

§ 1º No edital de leilão deverão constar todas as condições do parcelamento.

§ 2º A concessão, administração e controle do parcelamento deverão ser realizados pela unidade da PGFN responsável pela execução fiscal em que ocorreu a arrematação.
Art. 3º O parcelamento observará a quantidade máxima de 60 (sessenta) prestações iguais, mensais e sucessivas, no valor mínimo de R$ 500,00 (quinhentos reais) cada uma.

Parágrafo único. O valor de cada parcela, por ocasião do pagamento, será acrescido de juros equivalentes à taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (SELIC), acumulada mensalmente, calculados a partir da data da arrematação até o mês anterior ao do pagamento, e de 1% (um por cento) relativamente ao mês em que o pagamento estiver sendo efetuado.

Art. 4º O parcelamento do valor da arrematação será limitado ao montante da dívida ativa objeto da execução.

Parágrafo único. O parcelamento da arrematação de bem cujo valor supere a dívida por ele garantida só será deferido quando o arrematante efetuar o depósito à vista da diferença, no ato da arrematação, para levantamento pelo executado.

Art. 5º Sendo o valor da arrematação suficiente para a quitação da dívida exequenda, o Procurador da Fazenda Nacional responsável pela atuação nos autos deverá solicitar a extinção do processo de execução.

Parágrafo único. A baixa da dívida nos sistemas da PGFN somente poderá ocorrer após a expedição da carta de arrematação, sendo utilizado como referência o valor da dívida na data da arrematação.

Art. 6º Caso o valor da arrematação se mostre insuficiente para liquidar o débito em cobrança, a execução deverá prosseguir pelo saldo remanescente.

Art. 7º Nas hastas públicas de bens imóveis, após expedida a carta de arrematação para pagamento parcelado, será a mesma levada pelo arrematante ao respectivo Cartório de Registro de Imóveis para averbação da hipoteca em favor da União.

Art. 8º Nas hastas públicas de bens móveis, após expedida a carta de arrematação para pagamento parcelado, será constituído penhor do bem arrematado em favor da União, quando for o caso, o qual será registrado na repartição competente mediante requerimento do arrematante.

Parágrafo único. Não será concedido o parcelamento da arrematação de bens consumíveis.
Art. 9º É vedada a concessão de parcelamento da arrematação no caso de concurso de penhora com credor privilegiado.

Art. 10. Tratando-se o bem arrematado de veículo, o prazo máximo do parcelamento será de 04 (quatro) anos, em razão do disposto no art. 1.466 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil).

Art. 11. Levada a efeito a arrematação, o valor parcelado constituir-se-á débito do arrematante.
§ 1º O valor da primeira prestação deverá ser depositado no ato de arrematação e será considerado como pagamento parcial, devendo o saldo ser dividido pelo número de meses restantes, nos termos do art. 3º da presente Portaria.

§ 2º Até a expedição da carta de arrematação, o arrematante deverá continuar depositando, mensalmente, as parcelas que vierem a se vencer, mediante Documento de Depósitos Judiciais e Extrajudiciais (DJE), utilizando o código de receita nº 4396.

§ 3º Os valores depositados por meio de DJE permanecerão à disposição do juízo até que seja expedida a carta de arrematação, quando então deve ser solicitada a transformação em pagamento definitivo.

§ 4º Após a emissão da carta de arrematação, os valores deverão ser recolhidos por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF), utilizando o código de receita nº 7739.
Art. 12. O parcelamento do valor da arrematação será formalizado mediante processo eletrônico, no sistema E-processo, devendo constar no requerimento, cujo modelo consta do Anexo Único, o nome do arrematante, sua inscrição no CPF/CNPJ, o endereço para correspondência, o número de prestações, a data da arrematação e o valor a ser parcelado, bem como a quantidade e o valor de prestações pagas a título de antecipação.

§ 1º O requerimento de parcelamento deve conter o comprovante de protocolo do registro exigido nos termos dos arts. 7º e/ou 8º desta Portaria.

§ 2º No processo referente ao parcelamento da arrematação devem constar, ainda, a identificação do executado, o montante da dívida quitada com a indicação dos respectivos números das inscrições em dívida ativa, bem como as cópias da avaliação judicial do bem leiloado, do resultado da hasta pública e da carta de arrematação.

Art. 13. Se o arrematante deixar de pagar no vencimento quaisquer das prestações mensais, o parcelamento será rescindido, vencendo-se antecipadamente o saldo devedor, ao qual será acrescido o valor de 50% (cinquenta por cento), a título de multa de mora, conforme § 6º do art. 98 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991.

Art. 14. Ocorrendo a rescisão do parcelamento, o crédito será inscrito em dívida ativa e executado, se for o caso, indicando-se à penhora o imóvel hipotecado ou o bem móvel dado em garantia.

§ 1º A inscrição em dívida ativa do débito decorrente do saldo remanescente do parcelamento não quitado será de responsabilidade da unidade da PGFN correspondente ao domicílio do arrematante.

§ 2º A unidade da PGFN responsável pela administração do parcelamento da arrematação deverá, em caso de descumprimento das parcelas do acordo, encaminhar à unidade da PGFN do domicílio do arrematante, por meio do E-processo, o processo administrativo de controle e acompanhamento do parcelamento da arrematação, instruído com todas as informações relativas à arrematação, aos pagamentos e à caracterização da inadimplência.

Art. 15. Ao parcelamento disciplinado por esta Portaria aplica-se, subsidiariamente, o disposto nos atos normativos internos que regulamentam o parcelamento previsto nos arts. 10 a 13 da Lei nº 10.522, de 19 de julho de 2002.

Art. 16. Os parcelamentos autorizados anteriormente à vigência desta Portaria permanecem sujeitos às condições sob as quais foram concedidos.

Art. 17. A presente Portaria não se aplica às execuções fiscais que têm como fundamento a cobrança de débitos devidos ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Art. 18. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 19. Revoga-se a Portaria PGFN nº 262, de 11 de junho de 2002.


OBSERVAÇÃO: em caso de parcelamento o arrematante deverá depositar o valor das parcelas em conta judicial aberta para este fim, guardando os comprovantes até a liberação do gravame. Não obstante esta forma de pagamento, o exeqüente deverá fiscalizar a regularidade dos depósitos. Até a expedição da carta de arrematação, o arrematante deverá continuar depositando, mensalmente, as parcelas que vierem a se vencer, mediante Documento de Depósitos Judiciais e Extrajudiciais (DJE), conforme (redação atualizada), da Portaria PGFN nº 79 de 03/02/2014, (DOU nº 26 de 06/02/2014). Após a emissão da carta de arrematação, os valores deverão ser recolhidos por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF), conforme (redação atualizada), da Portaria PGFN nº 79 de 03/02/2014, (DOU nº 26 de 06/02/2014).

 

VICENTE ALVES PEREIRA NETO, Leiloeiro Público Oficial e Rural, devidamente autorizado pela Exma. Sra. Dra. GIOVANA MARIA CARON BOSIO MACHADO, Juíza de Direito da 3ª Vara Cível da Comarca de São Bento do Sul - SC, venderá em Praça/Leilão, na forma da Lei, em dia, hora e local supracitados, os bens penhorados nos processos a seguir:

 

1 - Processo: 0006369-75.2009.8.24.0058

Exequente: Estado de Santa Catarina

Executado: Artes Industriais de Madeira Ltda.

Bens: 01) Terreno contendo a área total de 20.000,00m², situado na rua Alfredo Liebl, no bairro Lençol, nesta cidade, distante 349,25m da rodovia BR-280, com as seguinte confrontações e medidas: lado ímpar, por 71,20m, fundos com Reynaldo Gruber, por 64,85m, lado direito com Lourival Stiegler, por 3 linhas quebradas de 242,20m; 12,77m e 46,50m, lado esquerdo com Laurindo Stracke, por 289,25m, esse imóvel situa-se na via que serve de acesso ao Hotel Beguisa, nas margens da rodovia que vai de São Bento do Sul-SC a Rio Negrinho-SC, lado esquerdo. O referido terreno não possui edificações, é parcialmente plano e reflorestado com árvores de pínus, matrícula 15.149 do CRI da Comarca de São Bento do Sul-SC; avaliação R$ 550.000,00; Gravame inscrição: AV-18-15.149 Indisponibilidade autos 0005113-63.2010.8.24.0058 em que é exequente A União; Penhoras inscrições: R-2-15.149 autos 539/96 em que é exequente Banco do Estado de Santa Catarina S/A., R-3-15.149 autos 058.10.000874-4, R-4-15.149 autos 058.09.003715-1 e 058.09.003714-3 em que ambas é exequente A União, R-5-15.149 autos 058.10.002790-0 em que é exequente Banco do Estado de Santa Catarina, R-6-15.149 autos 058.99.002075-1/003 em que é exequente Banco do Brasil S/A., R-7-15.149 autos 058.11.003869-7, R-8-15.149 058.12.001171-6 e R-9-15.149 autos 058.11.003848-4 em que ambas é exequente Fazenda Nacional, 02) Terreno contendo a área total de 12.001,07m², situado à rodovia SC-418 (rua Pérola - final) conforme matrícula rodovia BR-280 fundos, no bairro Colonial, distante cerca de 600,00m da referida rodovia, lado esquerdo, sentido São Bento do Sul - Rio Negrinho. O imóvel possui as seguintes confrontações e medidas: lado ímpar, por 167,35m, confinando aos fundos com herdeiros de Jorge Rank Filho por 124,70m; de um lado divide com Francisco Weiss por 11,00m e por 79,16m e do outro lado extrema com Francisco Weiss por 84,44m, matrícula 6.379 do CRI da Comarca de São Bento do Sul-SC; avaliação R$ 365.000,00; total da avaliação R$ 915.000,00 em 27/06/2016. Gravame inscrição: AV-3-6.379 tramita autos de Execução em que é exequente Nasa Industrial - Importação e Exportação de Manufaturados Ltda. Penhoras inscrições: AV-4-6.379 autos RT 01356-2008-024-12-00-0 em que é exequente Judite Alupes de Lima, AV-5-6.379 autos RT 01383-2008-024-12-00-3 em que é exequente Luiz Cezar Neves, AV-6-6.379 autos RT 01477-2008-024-12-00-2 em que é exequente Adão Ribeiro dos Santos, AV-7-6.379 autos RT 01481-2008-024-12-00-0 em que é exequente Marilu da Silva de Souza Correia, AV-8-6.379 autos RT 01490-2008-024-12-00-1 em que é exequente Tereza Ribeiro dos Santos de Oliveira, AV-5-6.379 autos RT 01491-2008-024-12-00-6 em que é exequente Valdecir Ramos, AV-10-6.379 autos RT 01664-2008-024-12-00-6 em que é exequente Luiz Carlos Mass, da Vara do Trabalho de São Bento do Sul-SC, R-11-6.379 autos 058.10.000874-4, R-12-6.379 autos 058.09.003715-1 e 058.09.003714-3 em que é exequente que ambas é exequente A União, R-13-6.379 autos 058.10.005534-3 e R-14-6.379 em que ambas é exequente Estado de Santa Catarina, R-15-6.379 autos 058.10.005113-5 em que é exequente A União, R-16-6.379 autos 058.10.005534-3 em que é exequente Estado de Santa Catarina, R-17-6.379 autos 058.11.003869-7, R-18-6.379 autos 058.12.001171-6, R-19-6.379 autos 058.11.003848-4 em que ambas é exequente Fazenda Nacional, R-20-6.379 autos 058.10.000914-7 em que é exequente A União, R-21-6.379 autos 058.12.004294-8, R-22-6.379 autos 058.12.003250-0, R-23-6.379 autos 058.12.002171-1 e R-24-6.379 autos 058.12.004219-0 em que ambas é exequente Estado de Santa Catarina, R-25-6.379 autos 058.12.006362-7 em que é exequente Fazenda Nacional, R-26-6.379 autos 058.97.001137-4 em que é exequente Banco de Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina S/A - BADESC, R-27-6.379 autos 058.13.003430-1, R-28-6.379 autos 0000208-73-02.2014.8.24.0058, R-29-6.379 autos 0900030-02.2014.8.24.0058 e R-30-6.379 autos 0900049-08.2014.8.24.0058 em que ambas é exequente Estado de Santa Catarina, R-31-6.379 autos 0300969-31.2014.8.24.0058 em que é exequente Procuradoria Seccional da Fazenda Nacional em Joinville-SC, R-32-6.379 autos 0002121-90.2014.8.24.0058 e R-33-6.379 autos 0004208-19.2014.8.24.0058 em que ambas é exequente União - Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, R-34-6.379 autos 0001098-85.2009.8.24.0058 em que é exequente Jonny Zulauf & Associados e R-35-6.379 autos 0000394-63.1995.8.24.0058 em que é exequente Banco do Brasil S/A.; Depositário: Luiz Carlos Weiss. Vistorias: Bem 01) rua Alfredo Liebl, Lençol, São Bento do Sul-SC; Bem 02) rodovia SC-418 (rua Pérola - final) fundos, Colonial, São Bento do Sul-SC.

 

2 - Processo: 0002187-41.2012.8.24.0058

Exequente: Estado de Santa Catarina

Executado: Becker Pães e Doces Ltda.

Advogado:  Osny Dolberth 

Bem: 01) Forno elétrico industrial Tedesco turbo, modelo FTT 300, 60Hz, série 37323, 380V; avaliação: R$ 4.180,00 em 25/02/2019. Depositário: Josilene Friedrich. Vistoria: rua Dona Francisca, 4.780, fundos, Dona Francisca, São Bento do Sul-SC.

 

3 - Processo: 0500049-10.2013.8.24.0058/01 ok

Exequente: UNIÃO - Procuradoria da Fazenda Nacional (PFN/SC)

Executado: Corposano Núcleo Integrado de Reabilitação Fisioterápica
Advogada:  Tassi Koroll Marques 

Advogado:  Nícolas Charles Marques 

Bem: 01) Aparelho de fisioterapia Laser Infra-Red 904, fabricante KLD biosiste, mas equipamentos eletrônicos Ltda., selo de vistoria 05/08/2017. (acompanha caneta aplicadora); avaliação R$ 3.500,00 em 16/11/2017. Depositário: Helen Rose Konig. Vistoria: rua Alfredo Mateus Buschle, 50, Centro, São Bento do Sul-SC.

 

3 - Processo: 0300991-89.2014.8.24.0058

Exequente: União - Fazenda Nacional

Executado: Movelcampo Indústria e Comércio de Móveis Ltda.

Bem: 01) Prensa, alta frequência, hidráulica, 1300 x 2500, Lampe (Matrisa), 2000; avaliação R$ 52.000,00 em 27/08/2018. Depositário: Roberto Renato Baecchtold. Vistoria: rodovia SC301, s/nº, Km50, Serrinha, Campo Alegre-SC.

 

5 - Processo: 0900755-54.2015.8.24.0058

Exequente: Município de São Bento do Sul

Executado: Metalurgica L.S. Ltda.

Bem: 01) Motocicleta Honda/CB 300R, 2011, gasolina, azul, placa MTZ5211, Renavam 305140086; avaliação R$ R$ 7.414,00 em 03/12/2018. Depositário: Carlos Antonio da Silva. Vistoria: rua Augusto Wunderwald, 1835, Brasília, São Bento do Sul-SC.

Ônus: Os tributos incidentes sobre os bens móveis e imóveis, multas sobre os automóveis, correrão por conta exclusiva do arrematante, salvo decisão judicial, nos termos dos artigos 130, parágrafo único do Código Tributário Nacional, e artigo 328 do Código de Trânsito Brasileiro. Os honorários do Leiloeiro Oficial, na razão de 5% (cinco por cento), do valor do lance vencedor, ocorrerão por conta do arrematante, comprador, remitente ou adjudicante em caso de arrematação, aquisição, acordo/remição ou adjudicação, respectivamente, conforme decisão judicial. Maiores informações com o Leiloeiro Público Oficial e Rural VICENTE ALVES PEREIRA NETO, através do site www.agencialeilao.com.br, a opção fale conosco, ou através do e-mail agencialeilao@agencialeilao.com.br, com endereço na Rua Xavantes, 54, Centro Empresarial CRH, Atiradores, Joinville-SC. Exma. Sra. Dra. GIOVANA MARIA CARON BOSIO MACHADO, Juíza de Direito da 3ª Vara Cível da Comarca de São Bento do Sul - SC.

 

 

CENTRAL DE ATENDIMENTO

R. Xavantes, 54 - Atiradores, Joinville - SC,
CEP: 89203-900 | Centro Empresarial CRH
Tel: (47) 3026-6900
Email: vicenteagencialeilao@gmail.com

WhatsApp: (47) 98863-0131